quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Ser mãe é...

ter filhos constantemente agarrados às nossas pernas, a exigirem a nossa atenção, a ter que inventar brincadeiras, a organizar almoços, lanches e jantares.
Deixar tudo sujo, não nos importarmos senão com o momento ter cuidado com os acidentes e pouco mais.
Ouvir mãe mais de 100 vezes, ouvir choros outras tantas, birras sem grandes consequências é a vida e como diz o poeta e é bonita.
Sorrisos, abraços, beijos a toda a hora, colos pedidos , colos perdidos, ciúmes, afagos, palavras doces, palavras tontas.
Ser mãe é ser isto tudo com um sorriso, sem deixar de ser bonita, alegre, dedicada.É perder a paciência, levantar a voz, dar uma palmada.
Ser mãe é ensinar a colorir, a brincar, a lutar, a amar.
Ser mãe é ler histórias, ouvir a mesma música 10 vezes, o mesmo filme outras tantas e mostrar sempre algo de novo, algo diferente com emoção, com verdade, com amor.
Ser mãe é sentirmos orgulho de nós próprias e de quem estamos a ajudar a crescer, é sentirmo-nos responsáveis pelos gestos, pelos actos, é rirmos às escondidas de respostas na ponta da língua, fazendo cara séria só para contrariar.
Ser mãe é também saber ser filho, é ser pequeno outra vez e compreender, lembrar, que fomos assim um dia com as mesmas brincadeiras, distrações, birras, frustrações.
É saber descer do pedestal e sermos crianças.
Ser mãe é ser-se tentado a deixar-se levar pela chantagem que tão bem eles sabem fazer, é dar miminhos quando o arrependimento vem, sabendo de antemão que irão fazer o mesmo outra vez, é não ligar, não ouvir quando queremos parar de ralhar, de dizer não, de dizer basta.
Ser mãe é estar presente mesmo quando ausente, ser mãe é ser tudo é se ser completa.Obrigada meus filhotes por me darem esta graça.
In APFN